terça-feira, 8 de agosto de 2017

NADA + COND. Z. T.

- desconfia M. que o NADA de D. é «Todo o Tempo do Mundo» («Hei por Nome Todo o Mundo E NINGUÉM» - «auto da Lusitânia»), mas isso é «entre Eles» 

- [reunião, hoje, do «Z. T.»: 3 horas (de (para) Nada? Oxalá NÃO!]

- em NOV., houve a Cena Final: Seguranças, GNR, mudança de chaves, C. C. A. M. [que, até agora, JUN. de 2018, pouco....]


- crónica de domingo, no Público - Maria João Lopes - AQUI
REcortes:

[...] Para mim, uma das coisas mais difíceis de contar a alguém é o nada. Porque o nada está cheio de contradições. É como o som das cigarras, faz um barulho desgraçado, mas parece que isso aumenta o silêncio. Com o nada é o mesmo. Não estou a fazer nada, não se está a passar nada, parece-me que não estou a pensar em nada e, no entanto, é aí que tudo acontece. [...]